Santa Clara inaugura nova fábrica de fertilizantes especiais

Com investimento da ordem de R$ 7,5 milhões, a Santa Clara Agrociência, empresa líder em inovação tecnológica na área de nutrição vegetal, inaugurou nesta quarta-feira (20), em Jaboticabal, interior de São Paulo, uma nova fábrica. Dotada dos equipamentos mais sofisticados existentes no mundo para o processamento de insumos de nutrição e proteção vegetal, a nova unidade ocupa uma área total de 4.200 m2, deve ampliar a produção dos atuais 2,5 milhões de kg/litros de insumos, para algo na casa dos 26,9 milhões de kg/litros por ano.

Em razão desse expressivo aumento previsto para a produção, o sistema de armazenamento concebido para a nova unidade teve, como princípio básico, a máxima eficiência nos diversos processos produtivos. “Na prática, isso significa que será possível armazenar uma quantia de produtos 5 vezes superior ao sistema convencional, pois o design interno da nova fábrica é todo verticalizado, com as etapas de paletização e movimentações de cargas praticamente toda ela automatizada, conferindo maior racionalização, segurança e agilidade no armazenamento e expedição dos produtos”, informou João Pedro Cury, CEO da empresa.

Os principais itens que serão produzidos na nova unidade são: formulações organominerais, de sais solúveis, de concentrados solúveis e síntese de componentes para produtos multifuncionais, além de compostos produzidos por meio de suspensões de nanopartículas. Diretamente, o novo empreendimento gerou 40 novos empregos diretos, além de 300 indiretos, considerando montagem, produção de equipamentos e pré-moldados, transporte, consultoria, construção civil, instalações de equipamentos, etc.

De acordo com CEO da Santa Clara, a instalação da nova planta produtiva se insere no plano estratégico global que projeta um expressivo crescimento da companhia. “Nossa meta é estar, já em 2019, entre as 10 maiores indústrias brasileiras do segmento de tecnologia de nutrição vegetal e entre cinco maiores exportadoras do segmento”, afirma Cury, lembrando ainda que atualmente os produtos são exportados para 36 países. A estimativa da empresa para os próximos anos é conseguir um crescimento médio da ordem de 40% nos negócios, um percentual bastante expressivo, sobretudo quando se compara com uma média de crescimento dos últimos três anos que se manteve em torno dos 75%.

Entre os principais diferenciais tecnológicos da planta inaugurada nesta quarta, em Jaboticabal, estão: processo produtivo de alta eficiência e adaptados para a produção de fertilizantes; otimização de espaços que permite reduzir em 5 vezes a área de estocagem; menor transito e movimentação de cargas na fábrica, gerando maior segurança para a equipe industrial e menor consumo de combustível (até 50% de economia); estrutura de armazenagem adequada para garantir a adoção de processo FIFO (first in: first out) que otimiza o processo de expedição; e capacidade fabril para produzir fertilizantes com nanotecnologia.

Optou-se por Jaboticabal para instalar a nova planta pela proximidade com universidades e centros de pesquisas agronômicas, pelas facilidades logísticas de recebimento de matéria-prima e expedição de produto acabado para os mercados interno e externo; acesso fácil à mão de obra qualificada; em função do custo de instalação ser bastante competitivo e pelo fato de a empresa já ter outras unidades na região.

Perfil Santa Clara Agrociência – Fundada oficialmente em 1997, mas com uma bagagem de mais de 50 anos de experiência acumulada pelos seus idealizadores, a Santa Clara Agrociência é uma empresa líder em inovação tecnológica na área de nutrição e proteção vegetal no Brasil. Seu objetivo principal é contribuir com soluções inovadoras de qualidade na pesquisa, desenvolvimento, produção e distribuição de insumos que auxiliem no ganho de produtividade do agricultor brasileiro. Com fábricas em Jaboticabal-SP e Cravinhos-SP, além da sede administrativa em Ribeirão Preto, atualmente lidera um grupo de empresas que, além da Santa Clara, inclui: a CCA, voltada à produção de insumos para produtos de proteção vegetal; a Hydromol, destinada a fabricação para terceiros; e a Brazilian Seeds, focada na produção de sementes. O grupo emprega hoje 140 profissionais (considerando funcionários e promotores de venda), investe 5,3% de sua receita anual em P&D, exporta para 30 países, possui registradas 5 patentes de alta tecnologia na área e disponibiliza insumos avançados para todas as principais culturas do país.