8 de abril de 2021

Lindsay: retrofit de pivôs pode ser alternativa econômica aos produtores

Os índices de chuva nos últimos anos no Brasil em diversas regiões produtoras têm sido abaixo do esperado. Em 2019, choveu menos 13% da previsão de séria histórica, já em 2020 foi menos 35% do que projetavam. Neste último mês de março de 2021, o esperado era 143 milímetros de chuva, e ocorreu apenas 40 mm. Ou seja, confiar somente em São Pedro não dá mais. A sustentabilidade para produzir alimento e energia a partir da cana-de-açúcar, por exemplo, têm demandado cada vez mais investimento em tecnologias de irrigação.

Pensando exatamente nesse cenário, a Lindsay oferece ao mercado o retrofit, a modernização e a atualização de equipamentos antigos. Seja para troca dos painéis de controle (passagem de painéis analógico para digital) ou substituição de componentes. Uma alternativa rentável que pode gerar economia de até 70% em relação a compra de um novo pivô. Essa foi a alternativa escolhida pela Usina Ipê, que pertence ao Grupo Pedra Agroindustrial S/A, localizada no Município de Nova Independência, região Oeste do Estado de São Paulo.

Com mais de 60 mil hectares de área plantada, a usina processa 4,1 milhões de toneladas por ano, algo em torno de 20 mil toneladas por dia. Após iniciar uma parceria agrícola em uma área próxima da usina que até então era explorada para pecuária de corte e cereais, o grupo absorveu boa parte da área da fazenda, sendo que no local haviam, dois pivôs de cereais, desativados.

Foi quando viram em um deles, que estava obsoleto, a chance de testar a irrigação nos canaviais sem ter que despender de muito investimento. “Motivados por essa situação e com a concordância dos proprietários da área, a Usina elegeu um dos pivôs para reforma e adequação para uso em irrigação de canaviais. Arcando com os custos de reforma e operação do mesmo. Eram equipamentos com 20 anos de uso. Buscamos orçamentos para fazermos a reforma e adequação para irrigar cana-de-açúcar”, diz o gerente agrícola da usina, Sérgio Luiz dos Santos.

O projeto
Para o projeto, a usina contou com a ajuda da Irrigaterra, empresa especializada em consultoria, projetos e montagem de sistemas de irrigação e agricultura irrigada. Segundo Mauro Takao Suzuki, gerente de vendas da marca, as tratativas com a Ipê começaram há três anos, pois tinham interesse na irrigação.

Mas, neste meio tempo, com a contratação em parceria Agrícola da fazenda que tinha os pivôs antigos, surgiu aí a oportunidade de fazer uma área experimental com irrigação para ver quais seriam os resultados na cana-de-açúcar. “Tivemos que aumentar o vão livre do pivô que era baixo, pois era utilizado na cultura de grãos. Fizemos a reforma, redimensionamos ele, colocamos novos aspersores e, mudamos o painel colocando o modelo 700C, equipado com o gerenciador FieldNET Ethernet e o FieldNET Advisor, tecnologias by Lindsay, agregando assim mais eficiência a fazenda”, destacou o gerente de vendas.

O FieldNET gerência o pivô, liga e desliga e registra todas as operações e integra sensores, como por exemplo, o pluviômetro, que se encontra instalado.  Ele pode ser ligar à Internet por Ethernet, GSM (celular), ou ainda via rádio. Já o FieldNET Advisor faz o gerenciamento do armazenamento de água no solo e a recomendação de irrigação, o chamado manejo da irrigação.

O equipamento ficou pronto e está em plena operação desde setembro do ano passado. Segundo o gerente agrícola, mesmo sendo iniciantes na irrigação, com o novo painel, já podem usufruir de uma tecnologia de ponta. “Estamos otimistas com os recursos, a Lindsay disponibilizou a inteligência para poder fazer o uso o mais racional possível da água. Toda a empresa está confiante nos resultados a serem confirmados na próxima colheita. Entendendo que a irrigação pode ser mais uma ferramenta a ser usada na busca de melhores produtividades, principalmente nessa região nossa que apresenta maiores déficits hídricos ao longo do ano para a cultura da cana”, disse.

Mesmo ainda não tendo finalizado uma safra completa, de acordo com Santos, os resultados da área irrigada em relação à testemunha são bem visíveis. “Instalamos o pivô do segundo para o terceiro corte, temos talhões, da mesma variedade, do mesmo corte, anexo à área do pivô que está recebendo só chuva e visualmente é nítido o melhor desenvolvimento da cultura com a irrigação em relação ao sequeiro”, destaca.

Mais benefícios
Além dos benefícios diretos da irrigação em si, a atualização do painel do equipamento, possibilitou modernizar o monitoramento de operação. A Usina Ipê optou pelo painel 700C, mas há a opção também do gerenciamento remoto através do Pivot Control, que pode ser instalado em qualquer pivô central, independentemente da marca ou da idade, e mantendo os controles de campo e o status remoto em sincronia.

A tecnologia possibilitou aos gestores o controle total à distância do pivô central e acompanhamento da irrigação do centro de operações agrícolas, montado dentro da usina. De lá, são monitorados todos os processos. Segundo o professor Dr. Fernando Tangerino, da Unesp, especialista em agricultura irrigada, que prestou consultoria neste projeto, o grande benefício de um processo de retrofit é a modernização do painel, para a versão digital estando apto para as Internet das Coisas (IoT). Assim, temos o controle da operação na mão por meio de um simples tablet, por exemplo.  Algo muito diferente de quando o colaborador tinha que pegar a moto e ligar e desligar o pivô em qualquer hora do dia ou da noite.

Existem níveis diferentes de retrofit. O produtor pode substituir o painel antigo por um Pivot Control, por exemplo, e optar em ter o controle remoto de ligar e desligá-lo sem estatísticas. Ou pode escolher a versão com todas as informações e funcionalidades disponíveis de programação via (IoT). “São os níveis de automação que vão gerar a capacidade desejada na estratégica”, acrescenta Tangerino.

Quando compensa o Retrofit?
De acordo com o gerente de vendas da Irrigaterra, cada caso de retrofit de pivôs precisa ser avaliado, por se tratar de uma reforma, os custos podem variar. Mas, se o pivô estiver com uma estrutura boa, e for feita apenas uma reforma de modernização, como troca de painel, e um sistema de aspersão mais eficiente realmente compensa o investimento. “Esse tipo de reforma que não envolve mudança na estrutura é interessante ao produtor. Nessas condições ele vai investir até cerca de 30% apenas do valor que investiria em um equipamento novo, o custo benefício é interessante”, finaliza Suzuki.

Sobre
A Lindsay América do Sul é subsidiária da americana Lindsay Corporation., e tem sua sede no Brasil, com escritório em Campinas (SP) e fábrica em Mogi Mirim (SP). A empresa produz uma linha completa de sistemas de irrigação, representada pelas marcas Zimmatic e FieldNET. Atuando na fabricação de pivôs centrais e laterais e também na distribuição de equipamentos agrícolas há mais de 55 anos, a Lindsay tem sistemas de irrigação em operação em mais de 90 países. www.lindsaybrasil.com.br.

Canal AgroRevenda

 

Papo de Prateleira

 

Newsletter

Receba nossa newsletter semanalmente. Cadastre-se gratuitamente.