Método Lean: novo conceito na cadeia do leite

Não basta tirar leite, é preciso entender sobre esse negócio. Estive neste mês em um lugar do Brasil que tem a atividade leiteira mais desenvolvida do país. Fica no Paraná, em Carambeí.

Participei de uma grande reunião com a Clínica do Leite, uma instituição sem fins lucrativos que atua para a melhoria da pecuária de leite, por meio de serviços analíticos, da geração de conhecimento e da formação de pessoas. Esteve presente a Frísia e muitos convidados de diversas organizações.

Em Carambeí, está sendo aplicada uma filosofia de organização baseada no Método Lean, que foi desenvolvido pela Toyota, no Japão. É uma filosofia de gestão focada na redução dos sete tipos de desperdícios, como a superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário, movimento e defeitos. Segundo a metodologia, eliminando esses desperdícios, acaba-se diminuindo o tempo e o custo de produção

O professor Paulo Fernando Machado, um dos maiores especialistas na gestão do leite,  desenvolveu o método Master Dairy Administration (MDA), que significa uma Maestria na Administração do Leite.

A educação para o sucesso nessa nobre arte da atividade leiteira passa por vários incômodos. Por isso, é preciso dar um significado ao trabalho, ter missão, visão e valores, engajar funcionários, solucionar problemas e inovar.

Então, vir a ser um ótimo produtor de leite, não basta apenas entender de vacas e da nutrição das vacas, ou saber tirar o leite; precisa estar atuando sobre uma filosofia de administração, como o método MDA, iniciado em 1996 na Esalq-USP, com a Clínica do Leite.

É hora de saber administrar com uma filosofia de propósitos e sentidos. E tudo começa no próprio pensamento de quem faz.

Sobre o CCAS – O Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto.

O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõem a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas.

A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado à disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça. Mais informações no website: http://agriculturasustentavel.org.br/. Acompanhe também o CCAS no Facebook: http://www.facebook.com/agriculturasustentavel.

José Luiz Tejon Megido, mestre em Educação Arte e História da Cultura pelo Mackenzie, doutor em Educação pela UDE/Uruguai e membro do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS)