5 de agosto de 2013

Indefinições inibem investimentos em biodiesel

A falta de definição do governo sobre o futuro do mercado de biodiesel no país tem reduzido os investimentos do setor em novas usinas ou ampliação da capacidade produtiva das existentes.

No último boletim da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP), de junho passado, constam apenas dois pedidos de autorização para construir novas usinas e dois para obras de ampliação da capacidade produtiva. Há alguns anos, o quadro era outro.

Em 2008, por exemplo, quando o segmento estava em expansão e começava a aumentar a presença de biodiesel por litro de diesel mineral para 3%, havia 23 solicitações para novas usinas e oito para ampliação. No ano seguinte, com 4% de mistura, eram 12 pedidos para novas fábricas e de novo oito para ampliação de usinas.

Em 2010, com 5% de biodiesel no diesel, no boletim de junho constavam 19 pedidos de autorização para instalar novas plantas e 11 para ampliar a capacidade produtiva. Um ano depois havia 18 pedidos para novas usinas e 10 de ampliação, quando se esperava que o governo pudesse lançar um novo marco regulatório e daria continuidade à expansão dessa mistura e ela viesse atingir 20% em 2020.

Em 2012 começou a descrença com o Plano Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB), diante da inércia do governo em enviar o novo marco regulatório do setor produtivo para o Congresso Nacional.

No ano passado também no boletim de junho mesmo assim ainda constavam seis pedidos para construir novas plantas e 10 para ampliar. Quando as usinas em obras no momento entrarem em operação – não há previsão exata para tanto –, a capacidade produtiva de biodiesel aumentará em 9%.

No ano passado o parque fabril brasileiro produziu 2,762 bilhões de litros do biocombustível, ficando em terceiro lugar na produção mundial; atrás da Argentina, com 2,8 bilhões de litros, dos quais 1,7 bilhões foram exportados; e dos Estados Unidos, que produziram 3,7 bilhões de litros.

A Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (APROBIO) estima que a produção em 2013 chega a 2,95 bilhões de litros, se for mantida a mistura de 5%. Se no último bimestre do ano houver o aumento para 7%, o volume produzido chegará a 3,2 bilhões de litros.

Existem hoje no país 69 usinas autorizadas a operar, com capacidade produtiva de 22,3 milhões de litros por dia. Dessas, 64 estão autorizadas a comercializar, o que corresponde a 20,4 milhões de litros por dia.

Em junho a Agência autorizou, ainda, a operação de duas novas usinas; uma em Rondonópolis, no Mato Grosso, e outra em Campo Real, no Rio de Janeiro. A ANP registrou, também, a autorização para uma empresa comercializar no Rio Grande do Sul.

Fonte: APROBIO – Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil

Canal AgroRevenda

 

Papo de Prateleira

 

Newsletter

Receba nossa newsletter semanalmente. Cadastre-se gratuitamente.