Impasse com tabela de frete paralisa transporte de fertilizantes no PR

A greve dos caminhoneiros e a disputa em torno da implantação ou não da tabela mínima de valores para o frete continua dificultando as atividades do campo. O problema agora são os insumos agrícolas parados no porto de Paranaguá. De acordo com o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), 75% do fertilizantes que foram importados para a safra 2018/19 está parada no principal porto de entrada do país.

Segundo o sindicato, 18 navios aguardam na fila em Paranaguá à espera de desembarque de fertilizantes. Todos parados devido à falta de definição em relação ao valor do frete para que os caminhões transportem o produto ao interior.

Cada navio parado tem um custo para Cada navio parado tem um custo para o importador (demurrage) de US$ 15 mil por dia. Isto é, no total estão sendo gastos US$ 270 mil por dia no porto. “Isso deve ser repassado aos produtores e consumidores, com aumento nos custos de produção e dos alimentos”, diz o sindicato.

Fonte: Valor

Canal AgroRevenda

 

Papo de Prateleira