ForAGRI começa e pede urgência ao Brasil do Agro 4.0

Agronegócio inteligente e inovação tecnológica são temas de evento promovido pelo CPqD, em Campinas (SP), e que começou nesta terça-feira.

Debater os desafios, as oportunidades e a visão de futuro para o agronegócio brasileiro, com foco na inovação tecnológica. Mais particularmente na aplicação do conceito de Internet das Coisas (IoT) nesse segmento. Esse é o principal objetivo da primeira edição do evento ForAGRI – Fórum Agronegócio Inteligente 2018, que o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) realiza e abriga em Campinas, hoje e amanhã.

“A intenção é reunir os diversos atores do agronegócio brasileiro – produtores, fornecedores, startups, instituições de pesquisa, academia e órgãos de fomento, entre outros – em um espaço propício ao debate e à troca de conhecimentos e experiências”, explica Fabrício Lira Figueiredo, gerente de Desenvolvimento de Negócios em Agronegócio Inteligente e responsável pela organização do evento.

O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações é um dos maiores da área e em TI da América Latina. Organização privada com mais de 40 anos, entrega serviços e desenvolve tecnologias de produtos e de sistemas de missão crítica aderentes às necessidades complexas do mercado.

Cerca de 300 participantes acompanharam do primeiro dia de atividades. A manhã iniciou com um painel que contou com a participação de José Gustavo Sampaio Gontijo, Diretor do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital, do Ministério da Ciência e Tecnologia; Augusto Luis Billi, Chefe de Divisão de Desenvolvimento Agropecuário, do Ministério da Agricultura; Adriana Mendes, Coordenadora de Planejamento de Espectro da Agência Nacional de Telecomunicações; Carlos Henrique Paes de Barros, Assessor da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo; Sérgio Augusto Morais Carbonell, Coordenador da Secretaria Executiva do Agropolo Campinas, e moderação de Alberto Paradisi, Vice-Presidente de Pesquisa e Desenvolvimento do CPqD. Eles enfatizaram a importância de órgãos públicos, iniciativa privada e universidades atuarem com mais consistência para a adoção de novas tecnologias pelo Agronegócio do Brasil.

Na sequência, foram realizadas três apresentações. Fabrício Lira Figueiredo, Gerente de Agronegócio Inteligente do CPqD falou dos desafios e das soluções da transformação digital no Agronegócio. “Precisamos ser rápidos e temos problemas com a falta de apoio para mais pesquisas e parcerias, mas nos próximos anos o setor vai proporcionar ganhos que passam de 21 bilhões de dólares”, explicou. Walter Maccheroni Junior, Gerente de Inovação do Grupo São Martinho, abordou a transformação digital na usina, que é uma das maiores do mundo, e deu detalhes do sistema piloto instalado na fazenda com a parceria do CPqD. “O caminho desta nova etapa tecnológica é longo e ainda temos muito o que aprender para analisar a quantidade extraordinária de dados que levantamos. Mas as primeiras ações já estão revertendo em ganhos e produtividade fantástica para o nosso negócio de açúcar e álcool”, contou.

E Ana Helena Correa de Andrade, Vice-presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA), tratou dos desafios das políticas públicas para o Agro 4.0. “São tantos atores novos para lidarmos e encontrarmos soluções conjuntas para o Agro. E temo pelo tempo que estamos perdendo para atingirmos um nível mais alto. Os concorrentes saíram na frente e pode nos tirar as vantagens competitivas que fizeram do Brasil a segunda potência agropecuária do planeta”, alertou.

A programação da tarde contou com palestras e espaços dedicados a diferentes temáticas do agronegócio inteligente, como o Espaço do Empreendedorismo, organizado em parceria com a Usina de Inovação Monte Alegre. O Espaço Academia, desenvolvido em parceria com a Faculdade de Engenharia Agrícolas da Universidade Estadual de Campinas (Feagri/Unicamp) e o Espaço Inovação.

Nesta quarta-feira, dia 12, está programada uma visita à Usina São Martinho, dando a oportunidade dos visitantes conhecerem um sistema de conectividade e IoT voltada ao agronegócio e como a dojot, integrada a esse sistema, potencializa a evolução do ecossistema para o desenvolvimento de aplicações que trarão maior eficiência às operações.

O ForAGRI é o segundo evento da série JOINUPS, que vem sendo realizada pelo CPqD com o objetivo de promover a inovação por meio da troca de conhecimentos e do compartilhamento de ideias.

O evento conta com o patrocínio da Trópico e da ANFAVEA, e o apoio da  Revista AgroRevenda e do Grupo Publique.