Evento ‘Horizons’ discute tendências da produção de alimentos no Brasil e no mundo

Evento foi aberto nesta terça-feira, dia 9, em Atibaia (SP), com a presença de mais de 200 líderes da produção de alimentos no Brasil.

Com PIB agro superior a R$ 1,5 trilhão por ano, o Brasil é um dos três maiores produtores e exportadores de alimentos do planeta. Porém, o mundo espera mais do nosso país. Segundo a FAO, o Brasil precisa contribuir com 40% do objetivo de dobrar a produção de alimentos até 2050 para saciar a fome de uma população que terá mais de 9 bilhões de pessoas. Afinal, estamos preparados para cumprir essa missão? Esta é a discussão central do HORIZONS, evento de tendências da alimentação global, que foi aberto neste dia 9 de outubro e segue até amanhã, em Atibaia (SP).

HORIZONS é uma iniciativa da Trouw Nutrition, uma das maiores indústrias de nutrição animal do mundo, pertencente ao grupo holandês Nutreco, com apoio de Rabobank, Elanco, Rafitec Embalagens e Yes Nutrição Animal. As discussões serão acompanhadas por mais de 200 líderes da produção de alimentos no Brasil.

“Os especialistas dizem que o crescimento da oferta de alimentos para atender à crescente demanda da população mundial passa, necessariamente, pelo uso de tecnologias em detrimento do aumento da área. Além disso, o componente ‘sustentabilidade’ é cada vez mais relevante a ponto de não se imaginar produzir mais sem responsabilidade ambiental e social”, explicou Stefan Mihailov, presidente da Trouw Nutrition Brasil, coordenador geral do HORIZONS.

Desafio lançado é preciso, mais do que nunca, “buscar soluções disruptivas”, indicou Jeremy Gutsche (Trend Hunter), palestrante do HORIZONS. Nesse campo, surgem temas como a nutrição sustentável e o indiscutível uso de Internet das Coisas (IoT), blockchains, big data e inteligência artificial. Numa outra frente, desenvolvem-se pesquisas sobre carne de laboratório e incremento do consumo de insetos, chamado por Arnold Van Hues (Universidade de Wageningen, Holanda) de ‘a proteína do futuro’. “O cenário é desafiador, mas temos condições para atender à crescente demanda. Porém, precisamos ser inovadores e dispor das novas tecnologias e soluções”, apontou Stefan Mihailov.

Esse tema é o foco central da mesa-redonda sobre as perspectivas de aumento da produção de alimentos no Brasil no HORIZONS, com a presença de Francisco Turra (Associação Brasileira da Proteína Animal), Antonio Jorge Camardelli (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes), Roberto Jank Jr. (Associação Brasileira dos Produtores de Leite) e Ricardo Neukirchner (Associação brasileira da Piscicultura). O ex-secretário da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, será o mediador. O secretário executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Eumar Novacki, também falou sobre os novos horizontes do agronegócio brasileiro.