13 de julho de 2020

Dados do INPE negam aumento das queimadas na Amazônia

O presidente do Grupo Suzano afirmou em interessante entrevista ao jornal ‘O Estado de S. Paulo deste domingo, dia 12: “O país ficou mais exposto em função das queimadas da Amazônia que voltaram a crescer”. O curioso é que o monitoramento orbital de queimadas do INPE indica exatamente o contrário (http://queimadas.dgi.inpe.br/queimadas/portal-static/situacao-atual/).

De primeiro de janeiro até 11 de julho deste ano, o INPE registrou 8.766 pontos de calor no bioma Amazônia contra 11.373 no mesmo período em 2019. Até agora, observa-se uma redução de 22% nas queimadas e não um crescimento. Em todo o Brasil, o INPE registrou 27.962 pontos de calor contra 27.780 em 2019. Uma variação de 0%.

Em tempos de posições tão tensionadas na temática ambiental, algumas narrativas já não trazem apenas opiniões diferentes sobre fatos. Elas simplesmente ignoram os fatos. Essa fumaça sem fogo e sem ciência não ajuda na busca de soluções, por melhores que sejam as intenções.

Evaristo de Miranda, doutor em ecologia, pesquisador da Embrapa

Canal AgroRevenda

 

Papo de Prateleira

 

Newsletter

Receba nossa newsletter semanalmente. Cadastre-se gratuitamente.