Congresso Brasileiro do Cooperativismo reúne as principais lideranças para discutir o futuro do setor

O CBC 2019 abre seu primeiro dia de discussões reunindo 1500 líderes e representantes de todo o Brasil e anuncia o lançamento da Agenda Institucional.

Nesta quarta-feira, 08 de maio, teve início a 14ª edição do Congresso Brasileiro do Cooperativismo (CBC), realizado pelo Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras). Com foco no futuro do setor e na sua perenidade, o evento reúne, em Brasília, 1500 líderes e representantes de cooperativas de todo o País, autoridades, embaixadores e a Frente Parlamentar Cooperativista (Frencoop) em torno de seis temas a serem abordados durante os três dias de congresso: Comunicação, Mercado, Governança & Gestão, Intercooperação, Inovação e Representação. Em 2019, o CBC também comemora os 50 anos da OCB.

A abertura oficial foi realizada por Márcio Lopes de Freitas, presidente da OCB, que comentou sobre a importância da atenção em torno do futuro do setor (que atualmente gera aproximadamente 394 mil vagas de emprego formal no Brasil) e em torno da preservação e continuidade dos valores cooperativistas. “O cooperativismo não pode transgredir os seus valores. Integridade é fundamental”, disse o presidente, que também apresentou o slogan da edição 2019 do evento: O cooperativismo do futuro se constrói aqui.

O palco do auditório principal do Complexo Brasil 21 recebeu, ao lado de Márcio Freitas, o ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marcos Montes; o presidente da Frencoop, deputado Evair de Melo; e o ministro do Superior Tribunal de Justiça, Paulo de Tarso Sanseverino. Os representantes anunciaram o lançamento da 13ª edição da Agenda Institucional do Cooperativismo, instrumento importante para dar visibilidade às causas defendidas pelo setor ao poder público.

Durante os próximos dois dias, o congresso abrirá as portas para palestras e atividades em torno das discussões sobre o futuro do cooperativismo, finalizando na sexta-feira, dia 10, com uma plenária sobre as diretrizes para os próximos anos do setor.

Agenda do cooperativismo – Além da versão impressa, a Agenda Institucional do Cooperativismo também foi lançada em formato digital. O documento foi dividido em Legislativo, Executivo e Judiciário e apresenta 36 projetos de lei de interesse, que englobam desde os ramos Saúde, Crédito, Consumo, Educação, Infraestrutura e outros.

“O cooperativismo tem apontado sua capacidade de gerar respeito nas entidades políticas. Nós temos um programa de educação política, que tem o intuito de mostrar com clareza que não temos uma bandeira ideológica partidária. Cooperativismo é neutralidade. Por isso, nós devemos participar do processo político do país: fazer uma militância permanente que abra as portas para o reconhecimento do cooperativismo. A OCB é uma representação nacional, o congresso tem que perceber a relevância dos nossos mais de 14 milhões de cooperados, portanto, quase 60 milhões de brasileiros. Somos uma força icônica e social. E por isso temos um papel fundamental no processo democrático”, comentou o presidente Márcio Lopes de Freitas durante entrevista coletiva.

Jovens embaixadores: empreendendo, com visão de futuro – Uma das iniciativas em torno do congresso foi a seleção de um grupo de mulheres embaixadoras do cooperativismo, e outro de jovens embaixadores. Para o primeiro, 493 mulheres de 23 estados brasileiros  e inscreveram e as 20 escolhidas criaram uma carta manifesto, que foi lida no palco por Daniela Voguel, do Sicoob Credi de Santa Catarina. O texto ressalta que a quantidade de lideranças femininas no cooperativismo vem crescendo aos poucos e que o preconceito ainda é grande. Entre outros pontos, o manifesto pede por mais espaço para as mulheres, pela criação de mais comitês femininos, equiparação salarial, campanhas e evento de reconhecimento.

O grupo de jovens, representado no palco por Pamela Fernandes, recebeu 170 inscrições e os 20 escolhidos também fizeram seu manifesto, que traz o pedido de inserção da cultura cooperativista desde cedo para os jovens, incentivando, investindo e criando oportunidade para o público.

Finalizando a abertura do congresso 2019, subiram ao palco Roberto Rodrigues, embaixador da FAO para o cooperativismo; Ariel Guarco, presidente da Aliança Cooperativa Internacional; e Graciela Fernandez, presidente da ACI Américas. Em sua fala, Roberto propõe ao setor que cada cooperativa do Brasil tenha em seu conselho de administração pelo menos uma mulher e um jovem. “O espaço existe e ele deve ser concedido”, reforçou o embaixador. Ao final, Graciela entregou ao presidente Márcio Lopes de Freitas uma placa em homenagem ao aniversário de 50 anos da OCB.

Fonte: Assessoria de Imprensa