Comunicação, decifra-me ou te devoro!

A incerteza sempre fez parte da vida humana na terra. No agr,o de maneira gigantesca: as incertezas com o clima, pragas, doenças, as bolsas de mercadorias, os hábitos alimentares em transformação e a concorrência internacional.

Nesta era, da informação veloz e conflitante, uma era de notícias falsas se misturando com as verdadeiras, e onde também aprendemos que podemos falar um monte de mentiras dizendo só a verdade, o insumo mais vital e sagrado para o agronegócio está no domínio da comunicação. Como no enigma da esfinge: decifra-me ou te devoro!

Já vivemos no Brasil exemplos recentes de incompetências comunicacionais com reflexos tenebrosos sobre nossas realidades. A Operação Carne Fraca generalizando para todo setor de proteína animal um problema localizado; vivemos e ainda estamos vivendo a balbúrdia da Torre de Babel do desmatamento e das queimadas, em que 5% de péssimos produtores estragam a vida de 95% de corretos e legais produtores, onde o crime, a grilagem de terras e o assalto a reservas protegidas queimam o ótimo trabalho da gigantesca maioria que faz o bem.

E o óleo nas águas do Nordeste? Mais um problema agravado pela incompetência comunicacional. O Governo havia proibido a pesca de camarão e lagosta nas áreas da derrama petrolífera e que acaba de ser revogada.

Precisou a Associação Brasileira das Indústrias do Pescado (Abipesca) atuar em caráter urgentíssimo para minimizar outro sacrifício desnecessário sobre pescadores, armadores, varejistas, atacadistas, empregados de um segmento que emprega mais de um milhão de pessoas, e que somente em novembro, iria sacrificar 300 milhões de reais de faturamento.

Em entrevista concedida, a Câmara Setorial da Produção de Pescado disse que essa restrição significa antecipar em 30 dias o período do defeso regular da atividade, o que viria a eliminar milhares de postos de trabalho. Da mesma forma o presidente da Bahia Pesca, Marcelo Oliveira, acrescentou: “o imbróglio em torno do óleo ainda é difícil de ser dimensionado. Parecia que os órgãos federais não conseguiam enxergar o tamanho da tragédia”.

Nosso peixe está limpo e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, revogou a determinação da suspensão da pesca no litoral do Nordeste. A realidade já é complexa. Sem inteligência comunicacional as loucuras das percepções criam novas realidades indesejadas, que amplificam mais ainda a dimensão do mal.

Comunicação, decifra-me ou te devoro. Uma área do conhecimento humano sagrado para a gestão do novo agronegócio. Dobra o agro Brasil, e peixe, a proteína que mais vai crescer nos próximos 10 anos.

Luiz Tejon Megido é mestre em Educação Arte e História da Cultura pelo Mackenzie, doutor em Educação pela UDE/Uruguai e membro do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS).

Canal AgroRevenda

 

Papo de Prateleira