14 de julho de 2022

Alltech Crop Science: como diminuir danos com as geadas

Soluções nutricionais reduzem os estresses sofridos por cultivos durante o inverno.

Julho e agosto de 2022 prometem frio intenso e períodos de geada. A previsão, realizada pelo Climatempo,  aponta a chegada de massas de ar polar em algumas regiões do País, deixando produtores rurais em alerta. Sul e Sudeste, maiores responsáveis pelo PIB do agronegócio brasileiro, serão os mais afetados pelas baixas temperaturas. Neste cenário, é possível reduzir os danos da estação por meio de técnicas de  manejo e uso de soluções nutricionais. Segundo a engenheira agrônoma, doutora em proteção de plantas e gerente técnica de grãos da Alltech Crop Science, Mayra Soares,  geadas dificilmente afetam 100% das lavouras, acontecendo, na maioria das vezes, de forma pontual. “Claro que tudo depende da intensidade do frio, mas, de modo geral, apenas uma parte do plantio é afetada. E, com as tecnologias atuais, podemos nos antecipar a esse evento, tomando medidas para prevenir grandes perdas”.

Complementando, o PhD em ciências do solo e gerente técnico de hortifrúti e café, Marcos Revoredo, afirma que, algumas culturas são mais sensíveis ao frio intenso do que outras. “Cultivares de clima tropical, como o cafeeiro, frutas cítricas, banana, e também as hortaliças, como por exemplo, as folhosas e o tomate, são as mais suscetíveis e acarretam maiores impactos econômicos”. Pensando nisso, ele recomenda cuidados desde o princípio, evitando o plantio em locais de baixadas e encostas, onde os danos podem ser mais severos. “No caso de hortaliças, é importante realizar o plantio em períodos de menor ocorrência de geadas, assim como, dar preferência a ambientes cobertos e protegidos”. As práticas culturais, como a irrigação por aspersão ou a neblina artificial, a depender do tipo de geada, nos momentos que antecedem a sua ocorrência, são práticas comuns no hortifrúti, para evitarmos possíveis danos, finaliza Revoredo.

Outra solução é a aplicação de elementos nutricionais capazes de reduzir o estresse da planta em decorrência das baixas temperaturas. “O produtor pode usar tecnologias nutricionais para aumentar o metabolismo das plantas, o que permitirá um maior acúmulo de solutos na seiva e, assim, diminuir o ponto de congelamento celular”, explica Mayra, que recomenda o uso de aminoácidos associados a nutrientes. “ Nós conquistamos muitos cases de sucesso com a combinação de aminoácidos complexado com cálcio, boro e magnésio, como é o caso do Liqui-Plex® CaMg+B, solução biotecnológica desenvolvida pela Alltech Crop Science. Fazendo a aplicação de 3 a 5 dias antes da geada, conseguimos aumentar o desempenho metabólico da planta, assegurando uma maior concentração de sólidos solúveis e diminuindo o risco de pontos de congelamento”.

E depois da geada?
A recomendação da especialista é que, após o fenômeno, produtores rurais invistam em produtos biotecnológicos com alto teor de aminoácidos, como os encontrados no Liqui-Plex Bonder. “Com essa aplicação, depois da  geada, quando a planta está retomando o seu desenvolvimento, conseguimos reduzir o estresse sofrido. O emprego de aminoácidos, como os da Linha Nutrição, é muito importante para a recuperação do cultivo. Isso potencializa a bioatividade do desenvolvimento da planta, favorecendo uma maior efetividade no crescimento vegetal.

Sobre a Alltech Crop Science
A Alltech Crop Science, divisão agrícola da Alltech Inc., desenvolve soluções naturais para os desafios da agricultura nos principais mercados do mundo. Por meio de produtos com alto valor agregado e tecnologia exclusiva nas linhas de fertilizantes sólidos, nutrição,  solo, proteção e performance, auxiliando na sustentabilidade e lucratividade ao produtor rural. A Alltech Crop Science do Brasil é formada pela maior fábrica de leveduras do mundo, localizada em São Pedro do Ivaí (PR), pela sede em Maringá (PR) e pela unidade em Uberlândia (MG).

Canal AgroRevenda

 

Papo de Prateleira

 

Newsletter

Receba nossa newsletter semanalmente. Cadastre-se gratuitamente.