6 de janeiro de 2021

Com linhas de financiamento paradas ou caras, consórcio é alternativa

De acordo com a Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas (CSMIA/Abimaq), entre janeiro e setembro de 2020, foram vendidas no mercado doméstico cerca de 33 mil máquinas agrícolas e rodoviárias, uma alta de 0,9% em comparação ao mesmo período de 2019. Em outubro, houve uma alta mensal de 9% na produção. O otimismo com o desempenho nas vendas deve continuar em 2021 e a projeção é que o setor cresça, pelo menos, 3% em relação ao ano passado. Ainda segundo a entidade, o setor de máquinas agrícolas cresce no mesmo ritmo da agricultura brasileira.

Mas algo que pode interferir no mercado são as linhas de financiamento como o Moderfrota, linha de crédito de investimento com recursos do BNDES, que terminaram em dezembro e poderão ser retomadas somente junto ao Plano Safra, em junho ou julho de 2021. Há outras linhas de financiamento no mercado, mas que são mais caras para o produtor rural, segundo a CSMIA.

Uma boa alternativa para os agricultores é optar pelo consórcio. Nos últimos cinco anos, o número de participantes do consórcio de máquinas agrícolas aumentou 68,2% no país, segundo levantamento da ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios). O total de consorciados que está planejando a aquisição de máquinas e implementos agrícolas representa 33,3% dos 350,65 mil participantes ativos no consórcio de veículos pesados – na qual a compra de bens vinculados ao agronegócio se insere, sendo que três a cada cinco consorciados (60,4%) são pessoas físicas.

Essa tendência é percebida pelo UP Consórcios, fintech da Embracon, único consórcio brasileiro a oferecer taxa zero até a contemplação e recompra garantida da carta contemplada. A taxa de administração de 0,35% é aplicada após a contemplação e é a menor praticada no mercado. Também tem isenção da taxa de adesão e fundo reserva, e oferece várias faixas de crédito.

“Com o agronegócio em alta no Brasil e a expectativa de boas safras em diversos setores, as projeções de crescimento na aquisição de um consórcio para compra de maquinários pesados neste ano são muito otimistas”, diz Lorelay Lopes, head de Negócios do UP Consórcios.

Em geral, o consórcio para a compra de máquinas agrícolas, que podem ser novas ou usadas, se estende até no máximo sete anos, sendo que, quanto maior o prazo, menor o valor da parcela. O consorciado pode ser contemplado tanto no começo do ciclo de pagamento, como no  término das suas parcelas, mas ofertar um lance aumenta as chances de contemplação.

Sobre o UP Consórcios
Fundado em fevereiro de 2019, o UP Consórcios é uma fintech da Embracon, desenvolvida pela área de inovação, que ajuda as pessoas a atingirem seus objetivos com planejamento financeiro. Mais que moderno e digital, o UP é um consórcio transparente e o único consórcio sem nenhuma taxa até a contemplação, com isenção da taxa de adesão e fundo reserva. Outro diferencial do UP é a recompra garantida para a cota contemplada, com as parcelas pagas corrigidas pelo índice oficial da Poupança.  O UP Consórcios oferece crédito para a aquisição de bens (carros e imóveis) e serviços (festas, viagens, cursos, reformas, estética, entre outros), com planos de 20 a 180 parcelas. A fintech é administrada pela Embracon, que é fiscalizada e regulamentada pelo Banco Central.

Canal AgroRevenda

 

Papo de Prateleira

 

Newsletter

Receba nossa newsletter semanalmente. Cadastre-se gratuitamente.