Céleres passa a ver safra recorde de soja no Brasil

O cenário climático bastante favorável trazido pelo fenômeno climático La Niña, sobretudo para o Centro-Oeste e a região dos Estados do Matopiba, levará a safra de soja brasileira a superar o recorde da temporada passada em quase 2 milhões de toneladas, alcançando 115,7 milhões de toneladas em 2017/18, estimou a consultoria Céleres em relatório nesta quarta-feira. Até o início de fevereiro, a Céleres projetava 111,90 milhões de toneladas, uma queda na produção ante a temporada passada. “O regime de chuvas abundantes reafirmou o viés altista para as projeções de produção. Estados como Mato Grosso, Goiás… e todo Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) deverão ter produtividades ainda melhores que na safra passada”, disse a Céleres.

O destaque negativo fica por conta do Rio Grande do Sul, mais precisamente na região sul do Estado, onde a escassez hídrica prejudicou o desenvolvimento da oleaginosa, acrescentou a consultoria. Mesmo com a maior produção nacional, o cenário de demanda, interna e externa, permanece robusto e deve aliviar os estoques internos da soja. “Pelo lado da comercialização, os preços ainda elevados vistos em Chicago vêm estimulando vendas consideráveis nas últimas semanas, com 42 por cento da safra já comercializada em todo país.”

MILHO E ALGODÃO – A Céleres manteve as estimativas para a safra de milho verão em 2017/18. Com a área estimada em 5,43 milhões de hectares, a produção da primeira safra deve totalizar 27,7 milhões de toneladas no atual ciclo, 18 por cento menor que na safra anterior. De acordo com o levantamento da Céleres, 46 por cento da safra de verão já havia sido colhida até 9 de março, em linha com o registrado no ano passado. A Céleres projeta queda de 1,1 por cento na área plantada na segunda safra 2017/18, devendo ir para 11,4 milhões de hectares. A produtividade está estimada em 5,61 toneladas/hectare, queda de 3,4 por cento em relação ao ano passado, enquanto o plantio ainda está se desenvolvendo no Brasil.

A produção de segunda safra, por ora, está estimada em 63,9 milhões de toneladas em 2017/18, 4,5 por cento menor que na safra passada. Com relação ao algodão, a Céleres manteve a estimativa de área a ser cultivada em 1,12 milhão de hectares, aumento de 20,6 por cento em relação à safra passada. Já a produção da pluma deverá ficar em 1,73 milhão de toneladas, um aumento de 14,6 por cento em relação à safra anterior, segundo a consultoria.

Fonte: Reuters

Canal AgroRevenda

 

Papo de Prateleira