Biochem coloca no mercado brasileiro a linha ECOTrace®

A Biochem, empresa de aditivos para nutrição animal, com sede em Lohne, na Alemanha, e que recentemente abriu um escritório em São Paulo em razão da rápida expansão da empresa na América do Sul, colocou no mercado brasileiro a linha ECOTrace®, composta por minerais de alta biodisponibilidade e voltada aos frangos de corte.

A linha ECOTrace® é composta por glicinatos, minerais orgânicos à base de glicina, de alta biodisponibilidade, solúveis em água e com estrutura granular homogênea e fina que promove excelentes fluidez e mistura na ração, sem formação de pó.

O rápido crescimento e o alto ganho de peso caracterizam o frango de corte moderno e a origem do peru. No entanto, os ossos em crescimento destes animais têm de carregar grandes pesos enquanto a sua mineralização ainda não está terminada. Como resultado, surgem problemas esqueléticos, como malformações.

“As discussões sobre ossos saudáveis concentram-se, muitas vezes, no cálcio e no fósforo, mas os oligoelementos também são de grande importância. Em seu papel como ativador, as enzimas têm grande influência na construção, conversão e degradação de processos, como de fibras de colágeno, que constituem uma substância para ossos e cartilagens. Em caso de deficiência, o desenvolvimento e a estabilidade das fibras de colágeno são reduzidos, resultando em uma base fraca para a mineralização óssea”, explica Paulo Oliveira, diretor da Biochem na América do Sul. “Temos diversas pesquisas relatando ensaios com o uso do ECOTrace®, apresentando melhor estado de fornecimento de minerais, risco reduzido de depressão de desempenho e menor excreção de minerais. Com toda a certeza, ECOTrace® é um produto que faz a diferença na criação de frangos de corte, trazendo resultados expressivos e ganhos ao produtor”, completa.

No entanto, a discussão sobre a estabilidade óssea das aves não deve evitar o fornecimento adequado de elementos vestigiais, mas o problema é a disponibilidade limitada de oligoelementos inorgânicos. “Neste caso, a solução são os elementos vestigiais ligados organicamente, como, por exemplo, os quelatos de glicina, da linha ECOTrace®, caracterizados por alta disponibilidade e resultando em menos antagonismos e facilitação da absorção de oligoelementos”, diz Oliveira.

Um estudo realizado em cooperação com a Universidade de Ciências Aplicadas de Osnabrück, na Alemanha, dividiu 500 frangos em 3 grupos de alimentação, que se diferenciaram por fonte e concentração de oligoelementos, aumentados até o 40º dia de vida. Quando as aves foram abatidas, a tíbia foi recolhida para análise de elementos vestigiais. Os animais do grupo-controle receberam uma dieta básica, ou seja, sem modificações na composição de nutrientes.

Já os animais dos grupos de tratamento receberam uma alimentação com sulfatos ou quelatos de glicina (ECOTrace®). Como resultado, a tíbia dos frangos do grupo que recebeu glicinato mostrou concentrações significativamente mais altas de ferro e zinco em comparação com os demais grupos. “Isto reflete em ganhos econômicos para o produtor”, conclui Oliveira.

A linha ECOTrace® permite um fornecimento seguro de microminerais para um desempenho estável e proporciona menor impacto ambiental, alto teor de metais e baixa formação de pó, apresentando excelente fluidez e dosagem. Sua estrutura química evita interações negativas entre o íon metálico e outros compostos de alimentação no trato digestivo e aumenta a absorção e a biodisponibilidade de microminerais.

Sobre a Biochem – A Biochem é uma empresa de aditivos para nutrição animal, com sede em Lohne, na Alemanha, e recentemente abriu um escritório em São Paulo em razão da rápida expansão da empresa na América do Sul. Atualmente, opera em mais de 60 países, com mais de 250 funcionários. Nas últimas três décadas, tem se empenhado em pesquisa científica em associação com vários institutos mundialmente aclamados. A gama de produtos da Biochem inclui probióticos, minerais orgânicos, enzimas, ligantes de toxinas, emulsificantes, ácidos, produtos de betaína e pó de colostro.

Fonte: Assessoria de Imprensa