Baculovírus da AgBiTech no ‘Siconbiol’

Líder da área de Pesquisa & Desenvolvimento, executiva aborda inseticidas à base de baculovírus como ferramenta do Manejo Integrado de Pragas. Na primeira safra comercial, bioinseticidas da marca foram utilizados em cerca de 500 mil hectares de área tratada, nas culturas de algodão e soja.

A entomologista Dra. Paula Marçon, presidente global e CTO – Chief Technology Officer da australo-americana AgBiTech, faz nesta segunda (12), na cidade de Londrina (PR), uma apresentação sobre o avanço dos chamados baculovírus ou defensivos agrícolas biológicos na agricultura. Ela será destaque da programação do 16º Simpósio de Controle Biológico (Siconbiol), que reúne alguns dos mais renomados profissionais do mundo na área. O evento, da Sociedade Entomológica do Brasil, ocorrerá no Parque Nei Braga.

Com uma sólida carreira na indústria de proteção de cultivos, Paula Marçon está há três anos à frente da área de Pesquisa & Desenvolvimento da AgBiTech. O tema central da palestra da executiva será Inseticidas à Base de Baculovírus como Alicerce para o Manejo Integrado de Pragas (MIP) – Uma Visão Baseada na Ciência e Focada no Produtor.

Sucesso na 1ª safra – Presente no Brasil há três anos, a AgBiTech fez sua estreia comercial na safra 2018-19. Apesar do pouco tempo de atuação no País, seus bioinseticidas foram utilizados em uma área equivalente a cerca de 500 mil hectares tratados. Os produtos Armigen®, Cartugen®, Chrysogen® e Surtivo® Soja, diz a empresa, obtiveram indicadores de sucesso no controle de lagartas como Spodoptera frugiperda, Helicoverpa armigera e Chrysodeixis includens.

Paralelamente ao Sincobiol 2019, a AgBiTech realiza na cidade paranaense uma reunião técnica com a participação de importantes consultorias e instituições da área de proteção de cultivos, entre as quais Fundação ABC (PR), Fundação Chapadão (MS), UNESP Ilha Solteira e ESALQ/USP (SP); Circulo Verde, Kasuya e Ide Consultorias (BA); EPA Agropesquisa e Rattes Consultorias (GO); Fundação MT, Assisti e PA Consultorias (MT) e AGRUM (RS).

A AgBiTech nasceu na Austrália, no ano 2000. A companhia atuou exclusivamente naquele país até atrair investimentos do fundo americano de Private Equity Paine Schwartz Partners (PAS), em 2015. Por essa ocasião, a empresa fez transferência de sua sede para os Estados Unidos e lá ergueu a sua principal unidade produtiva de baculovírus. O PAS conta hoje com quase US$ 2 bilhões aplicados em 42 empreendimentos, a maior parte destes ligada ao agronegócio global.

São mais de mil colaboradores, incluindo a maior equipe comercial no Brasil para atender revendas, cooperativas, distribuidoras, agroindústrias e produtores rurais. Fundada em 1º de junho de 1987 pelos empreendedores Norival Bonamichi e Jardel Massari, a companhia atua sob o propósito de reimaginar a saúde animal, instigando o desenvolvimento sustentável e consciente do setor.

Fonte: Assessoria de Imprensa