Albaugh foca no controle de doenças dos citros

Posicionada entre as empresas que mais crescem na oferta de soluções ao mercado de agroquímicos pós-patente, companhia tem como proposta de valor aumentar a competitividade do produtor e transferir rentabilidade aos pomares

A 45ª edição da Expocitros, tida como mais importante evento tecnológico do setor citrícola, começa na próxima segunda-feira, dia 3, com a presença da Albaugh, companhia que é referência global do mercado de agroquímicos pós-patente. Em pouco mais de três anos de Brasil, a Albaugh se situa entre as marcas que mais crescem na oferta de soluções no setor. A empresa mostra no evento de Cordeirópolis sua linha para controle de doenças e pragas dos citros, além do pipeline de tecnologias que pretende lançar nos próximos períodos.

Mundialmente conhecida entre os principais fabricantes de agroquímicos à base de cobre – a unidade da empresa em Resende (RJ) é uma das mais produtivas do segmento na América Latina –, a Albaugh traz a Cordeirópolis apresentações técnicas e resultados a campo em torno de seu fungicida Recop®.

Recomendado no controle preventivo das doenças antracnose, verrugose, rubelose, gomose, podridão parda e podridão peduncular, entre outras de relevância econômica, Recop® é descrito como um fungicida e bactericida cúprico de contato e amplo espectro de controle. “Quando aplicado na superfície das folhas, esse fungicida forma uma barreira que evita a penetração de patógenos. A recomendação é a de aplicar o produto logo no surgimento dos sintomas das doenças”, resume Reginaldo Sene, engenheiro agrônomo, diretor de marketing e desenvolvimento da companhia.

Segundo Sene, a citricultura brasileira constitui um setor chave para o crescimento da Albaugh nos próximos anos. “Nossa empresa está entre as líderes na produção de fungicidas à base de cobre, um insumo que é ferramenta fundamental ao manejo de doenças e desempenho das lavouras de citros. A Albaugh traz ao citricultor uma proposta de valor de longo prazo, ancorada na transferência de rentabilidade e na racionalização de custos”, reforça Sene.

De acordo com o executivo, os agroquímicos à base de cobre controlam com eficácia às doenças e também complementam práticas culturais importantes na produtividade dos pomares, como o manejo de resistência de patógenos aos fungicidas sistêmicos em linha no País.

Além do fungicida Recop®, a Albaugh destaca ao citricultor visitante do evento de Cordeirópolis o inseticida Wild®, indicado principalmente no controle das pragas cochonilha-pardinha, cochonilha-parlatória e mosca-do-mediterrâneo.

Fundada nos Estados Unidos em 1979, a Albaugh atua em 4 continentes. A companhia produz e distribui um amplo portfólio de agroquímicos pós-patente indicado às principais culturas agrícolas, como soja, milho, algodão e cana-de-açúcar, entre outras. Sua marca já é percebida no Brasil como parceira estratégica da rentabilidade do agricultor.

Fonte: Assessoria de imprensa