Agronotícias por Maurício Picazo Galhardo

ISRAEL. A ministra da Agricultura, se reuniu na tarde de quarta-feira (6) com o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, e com o embaixador de Israel no país, Yossi Shelley, para discutir propostas que permitam o uso racional da água e tecnologias que aumentem a produção agropecuária no semiárido. Israel é referência em tecnologias de dessalinização, reuso de água para abastecimento e consumo da população, e em agricultura irrigada.

SARDINHA. O governo estabeleceu quota tarifária para importação de 120 mil toneladas de sardinhas e sardinelas com alíquota reduzida de 10% para zero. A quota poderá ser utilizada no período de 12 meses. Há atualmente um cenário de declínio da captura nacional do peixe e de expansão da capacidade produtiva da indústria nacional de pescados em conserva.

LEITE EM PÓ. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, informou na sexta-feira (8) que estão em estudo no governo medidas para resolver o problema provocado pela suspensão da taxa de anti-dumping para a importação de leite em pó, integral ou desnatado oriundo da União Europeia e da Nova Zelândia. Uma das medidas em estudo, de acordo com a ministra, é o aumento temporário do imposto de importação do leite em pó da alíquota atual, de 28%, para cerca de 42%.

BRUMADINHO. O Ministério da Agricultura, solicitou ao Banco do Brasil a suspensão dos contratos firmados por produtores rurais que foram atingidos pelo rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho. A ministra pediu ainda que os agricultores sejam atendidos pelo seguro previsto no financiamento do programa. Segundo a Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF) do Mapa, do total de 182 Declarações de Aptidão ao Pronaf que foram emitidas para produtores de Brumadinho no ano passado, foram firmados 52 contratos.

CRESCIMENTO. A produtividade da agropecuária entre 1975 e 2017 tem impulsionado o setor, graças à evolução anual a uma taxa média de 3,43%, superior ao da agricultura americana, de 1,38% ao ano. Em período mais recente, de 2000 a 2017, a média brasileira alcançou 3,8 % ao ano. De acordo com a Secretaria de Política Agrícola (SPA), do Ministério da Agricultura, influenciou a produtividade as políticas setoriais, o aumento de investimentos, o financiamento através do crédito rural, a abertura de mercados externos a produtos nacionais e a adoção de novos sistemas de produção.

CSA. O conceito de uma Comunidade que Sustenta a Agricultura (CSA) apresenta uma prática de sucesso para um desenvolvimento agrícola sustentável, com produção e distribuição de produtos agroecológicos de uma forma direta (agricultor ─ consumidor), criando confiança e estreitando as relações entre quem produz e quem consome. Um grupo de consumidores se compromete a cobrir o orçamento da produção agrícola e, em contrapartida, recebe os alimentos produzidos pelo agricultor.

COAGRICULTORES. Recentemente, foi criado em Santos um grupo de CSA, chamado “CSA Acerola”, composto por 30 coagricultores e um agricultor. O grupo conta com o apoio da CSA-Brasil, da CATI Regional São Paulo e da instituição “Espaço Ser Vivo” de Santos. Tal grupo vem participando de encontros, reuniões, mutirões realizados na área produtiva e no dia 30 de janeiro foi promovido um evento na sede do “CSA Acerola”.

STARTUPS. O Sistema CNA/Senar/Instituto CNA realizou durante dois dias um evento preparatório para as equipes que vão mapear, a partir dessa semana, as startups voltadas para o agro existentes em todo o País. O primeiro passo foi nivelar a equipe técnica das Administrações Regionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e das Federações de Agricultura e Pecuária da Bahia, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rondônia.

MAPEAMENTO. A Embrapa Territorial iniciará, neste ano, um projeto para “Mapeamento de níveis de degradação de pastagens do bioma Cerrado por meio de geotecnologias”. O pesquisador Sérgio Galdino pontua que a iniciativa deve trazer avanços na precisão de informações disponíveis sobre o tema no Brasil. Isso porque serão utilizadas imagens de satélites com resolução de 30 metros e 10 metros e haverá um extenso trabalho de campo para ajuste e validação dos modelos – está prevista a coleta de 4.200 amostras.

Textos: Mapa, CATI, CNA, Embrapa