2 de fevereiro de 2020

A tecnologia no agronegócio e o manejo

O ano é 2020, e o mundo caminha a passos firmes em direção ao futuro tecnológico. Facilitação de processos e otimização de tempo, investimentos e esforços são as chaves reais para a evolução de uma sociedade que cresce demandando cada vez mais recursos. Na base disso tudo, o agronegócio segue consolidando sua força econômica, especialmente no cenário brasileiro. Neste contexto a tecnologia não poderia deixar de dar sua contribuição fundamental para o fortalecimento do setor, e o investimento tem sido intenso no desenvolvimento de soluções tecnológicas pioneiras que conectam a agroindústria ao produtor rural. Sim, ambos estão se modernizando cada vez mais para que seus processos sejam sempre maximizados, visando alta produtividade e lucratividade.

Sendo assim, há uma ampla importância desses avanços para o desenvolvimento pleno da sociedade através da produção agroindustrial, com destaque aos efeitos da transformação tecnológica na produção de proteína animal. A tecnologia de sensoriamento remoto, por exemplo, já é uma realidade para o setor agro, embarcando conceitos de Internet das Coisas (IoT), computação em nuvem e Big Data. Quando tudo isso é aplicado nas granjas, por exemplo, desvios ou desperdícios no processo podem ser identificados em tempo real. Uma vez sanados, melhoram a eficiência e geram ganhos imediatos na produtividade. Assim, a grande demanda consegue ser atendida e todos saem ganhando: o consumidor, o produtor e a agroindústria.

Uma das tendências de modernização dos processos produtivos no agro – que trazem muitos ganhos para a agroindústria – são as tecnologias que traduzem dados em informações e que ajudam a melhorar o manejo, permitindo que todas as granjas sejam controladas de forma centralizada e rastreável, gerando painéis de indicadores. É possível gerenciar dados do processo produtivo como consumo animal, ambiência, peso diário, conversão alimentar e índices de mortalidade, além de dados como quantidade de ração em estoque, entre outros. Além disso, é possível também manter um monitoramento constante dos equipamentos, o que facilita a manutenção rápida e imediata sem maiores impactos na produtividade.

Todas essas informações podem ser enviadas para uma torre de controle na agroindústria, onde são constantemente monitoradas, analisadas e comparadas, orientando as melhorias dos processos e da logística de produção. Essa gama enorme de dados possibilita que análises preditivas sejam feitas por meio de algoritmos de Inteligência Artificial, antecipando fatos que podem comprometer o ciclo produtivo.

É preciso estar sempre com o olhar à frente. Trata-se de um trabalho incessante, pois a inovação é necessária a todo instante para levar ao campo não apenas inteligência de mercado, previsibilidade e segurança, mas também resultados que se traduzem em ganhos de performance e de competitividade, tanto para a agroindústria quanto para o produtor rural.

Almir Meinerz é CEO da SPRO IT Solutions.

Canal AgroRevenda

 

Papo de Prateleira