10 de abril de 2019

1º Encontro Internacional de Jornalistas do Agro debate a mídia do setor na atualidade

O papel dos profissionais que cobrem diariamente a área que mais cresce no País e que é responsável por uma importante fatia do PIB brasileiro foi o tema principal do 1º Encontro Internacional de Jornalistas do Agro, realizado na última segunda-feira (8/4), no auditório da Syngenta, na capital paulista. Apresentado por Antonio Reche, o evento contou com palestras de Luiz Pitombo, da Rede Brasil de Jornalistas Agro, Owen Roberts e Steve Werblow, respectivamente presidente e secretário-geral da Federação Internacional de Jornalistas Agrícolas (IFAJ), Vera Ondei, da Revista Dinheiro Rural, Adalberto Rossi, presidente do Círculo Argentino de Periodistas Agrários (CAPA), e Tuulikki Viilo, do jornal Maaseudun Tulevaisuus (Finlândia), que debateram temas e trocaram ideias sobre os caminhos e as tendências da mídia rural, a digitalização dos meios de comunicação e as fake news.

Ao abrir o encontro, Luiz Pitombo destacou a importância da troca de ideias entre os profissionais que são responsáveis por levar ao público informações de um setor tão grandioso, que tem a missão de atender ao aumento da demanda mundial por alimentos. Em seguida, Owen Roberts também abordou a importância do networking e falou sobre a IFAJ, que soma 5.000 jornalistas associados em 50 países em todo o mundo, reunidos em “guildas”, termo surgido na Europa medieval para designar uma associação de pessoas em torno de interesses comuns.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O jornalismo agrícola desempenha um papel importante não só para o setor, mas para o desenvolvimento da economia e da cultura do país”, ressaltou Steve Werblow, lembrando que, atualmente, ainda estamos no processo para entender e quantificar o consumo das notícias on-line. Preocupação também citada pelo periodista argentino Adalberto Rossi: “O jornalismo está se reinventando com a migração para o digital, a interatividade e o poder da instantaneidade”.

As transformações na área também foram citadas por Vera Ondei, que destacou a presença cada vez maior da Inteligência Artificial na profissão. E frisou: “O grande barato do jornalismo agro é gerar conteúdo. E isso é o que não falta”.

A norueguesa Tuulikki Viilo falou sobre as especificidades da imprensa do setor em seu país e pontuou algumas diferenças entre os textos escritos e on-line. “A mídia digital é um desafio mas, também, é a sua oportunidade”, afirmou. Por fim, Robert Owen, da IFAJ, falou sobre a transmissão de conhecimentos (knowledge mobilization) como tendência no jornalismo agrícola. “Escrevendo e transmitindo estórias, fazemos as notícias circularem”, concluiu. O Grupo Publique participou do evento, ao lado de jornalistas dos principais veículos de comunicação do setor agro do País.

* Por Mylene Abud – Texto | Foto: Daniel Azevedo Duarte

Canal AgroRevenda

 

Papo de Prateleira

 

Newsletter

Receba nossa newsletter semanalmente. Cadastre-se gratuitamente.